"O justo é como árvore plantada à beira de águas correntes, perto da Fonte. Porque está plantado assim, ele dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham. Tudo o que faz prospera. Ele é teimosamente abençoado por Deus. A olhos vistos".

Divulgo, aqui no blog, algumas reflexões. Não são textos acabados e sempre estou aberto ao diálogo!

sábado, 16 de junho de 2012

"O importante é levar vantagem em tudo, cerrrrto?"

Há algum tempo que eu queria escrever sobre este assunto. Queria começar com este post e ir acrescentando quando possível.

Todos os dias vejo uma quantidade de notícias a respeito de corrupção, desvio de verbas, desonestidade, políticos corruptos, CPI para lá e para cá, ironias sobre senadores, deputados, governadores, vereadores, etc. Vejo tanto dinheiro sendo desviado para alguns e tantos brasileiros passando necessidades primárias - como comida, vestuários, moradia, segurança. Vejo também alguns poucos sinais de indignação com esta roubalheira toda e muita reclamação sobre isto. Até aqui nada de novo, não é? Acho que você também vê todas estas coisas. Mas a impressão que tenho é que a grande maioria daqueles que estão reclamando destas situações de utilização de dinheiro alheio não é pela falta de honestidade destes, mas porque, gostariam de poder aproveitar de uma fatia desta farra.
Para mim o problema da corrupção não é privilégio da classe política, mas, estes que estão em cargos públicos são os mesmos que, sendo empresários, empregados, cidadãos comuns, tirariam vantagens sobre os outros de diferentes formas!
Creio que o problema do Brasil não é estrutural, nem conjuntural (somente, é claro!), está na "cultura" disseminada aqui de que "pode mais quem chora menos" ou na famigerada "Lei de Gérson" - veja o vídeo aqui em baixo para entender (quem ainda não sabe):




Este comercial criado em 1976 tem como personagem principal o meio campista da seleção brasileira de 1970 - Gérson, conhecido como "cérebro" desta seleção. O bordão do comercial caiu no gosto popular e tornou-se comum ouvir a frase - "O que importa é levar vantagem em tudo, cerrrrto?" E, levar vantagem em tudo às custas das desvantagens e do prejuízo de outros!

Em todas as circunstâncias uma pessoa madura procura a sua realização pessoal e a de seu grupo familiar e seus parceiros, porém esta vantagem não é obtida de forma ilícita, ilegal, imoral ou depreciado o outro e desrespeito os direitos alheios.

Esta insistência dos brasileiros (estou generalizando - mas sei que não são todos, claro!) de querer ser "o malandro", "o safo", "o que leva vantagem" tem se tornado irritante no dia a dia! Quem é que nunca passou pela situação de ver no trânsito o "espertinho" ultrapassar pelo acostamento, ou aproveitar o sinal vermelho, ou furar a fila de carros para entrar no shopping (dando um sinalzinho - "tô entrando!"). Ou para entrar no ônibus no ponto ou terminal passando na frente daqueles que já estão antes esperando. Ou, quando está sentado em um lugar preferencial para idosos, gestantes ou deficientes, e, tendo uma destas pessoas por perto, fazer de conta que está dormindo ou olhando para o lado para não ceder o lugar. Ou colando nas provas da escola ou faculdade, enganando-se a si e aos outros. Ou, ou, ou....

São muitos as situações corriqueiras!

Como é que o brasileiro pode esperar honestidade de seus representantes se ele mesmo não respeita o direito alheio?

Em uma série de reportagens a Record mostrou, já há algum tempo, algumas situações destas que estou dizendo. Vale a pena ver os vídeos integralmente:











Será que é possível um Brasil diferente? Será que estamos dispostos a pretendermos possuir apenas o que nos pertence?

Deixe o seu comentário com a sua experiência em relação a estas situações. Em outro post vou colocar algumas delas que passei!














2 comentários:

covildoorc disse...

Já perdi meu celular em festa. Já me devolveram no dia seguinte.
Já perdi a carteira na rua e só voltaram os documentos, nem a carteira eu vi novamente.
Também já achei celular na rua, por duas vezes, e fiz questão de devolver.

Mas minha última experiência foi a melhor de todas.
Sou mineiro e moro em São Bernardo, no ABC Paulista.
Deixei minha carteira cair do bolso em uma lan house e ela sumiu ali mesmo. Alguém que estava ali, pertinho de mim, deve ter visto e sumiu com ela. Para minha sorte, não tinha dinheiro algum, só cartões e documentos. No dia seguinte, meus pais me ligaram de Minas dizendo que haviam achado a carteira. Como?
Quem pegou a carteira na lan house, viu que não tinha nada de valor e jogou tudo fora numa rua ali perto. Um sujeito saía da casa de sua namorada, achou a carteira, vasculhou o que tinha dentro e viu lá o nome da minha cidade, no interior de Minas. E não é que na rua que ele morava, no centro de São Bernardo, haviam moradores da minha cidade mineira? Ele entrou em contato com esses seus vizinho que, por sua vez, conheciam meus pais. Ligaram lá para casa, lá em Minas, e avisaram onde eu deveria ir para resgatar minha carteira com documentos, cartões e tudo o mais. Ou o mundo é muito pequeno, ou eu tive sorte como poucos!!!

Robert, ccj disse...

Pois é meu caro, eu acredito que são poucos aqueles que, como este sujeito q vc relatou, se dão ao trabalho de sacrificar um pouco do seu tempo para fazer um favor aos outros ou, por causa de sua honestidade, "perderem" alguma coisa!.
Vou colocar outros post sobre estas situações "complicadas"